Archive for the 'Leituras & Sons' Category

A remexer no baú

  Quando hoje se faz uma pesquisa no Google a propósito de Nero Wolf o primeiro site que nos aparece é o The Wolf Pack, a página oficial da Nero Wolf Society, os fãs deste detective criado pelo escritor norte-americano Rex Stout. 

Mas quando estas CIBER-ESCRITAS foram publicadas, em Abril de 1996, o destaque ia para as páginas sobre Nero Wolf mantidas por Muffy Barkocy. Nessa época para a pergunta “Sabe como posso contactar o clube de fãs chamado The Wolfe Pack?” que alguém colocara no site de Muffy não havia resposta. Hoje o link para este clube de fãs está lá em destaque.

As páginas de Muffy Barkocy eram na altura muito interessantes porque tinham uma cronologia bibliográfica  que começava em 1930 (ano em que Nero iniciou a sua carreira de detective) e discutia-se como seria por dentro a casa do detective e a sua estufa. 

Percebi agora que quando escrevi estas CIBER-ESCRITAS cometi um erro: assumi que Muffy era um homem. Afinal é uma mulher. Vive em São Francisco e através de uma busca na WWW hoje fiquei a saber mais sobre ela. Muffy é bissexual, adepta do poliamor, especialista e fã de tatuagens e gosta de ler livros. Trabalha actualmente na Lexy onde é engenheira informática.

As páginas sobre Nero Wolf criadas por Muir já não estão disponíveis.

A remexer no baú

Aviso: Isto é só para coleccionadores.

Esta crónica CIBER-ESCRITAS foi publicada no suplemento do PÚBLICO, Leituras & Sons, no dia 30 de Março de 1996. Ao fim de tantos anos nunca pensei que ainda se encontrassem vestígios dos Versos de Segunda (na altura da PT-Net) a vaguear pela WWW.

E não é que existem? Há uma página criada por Carlos Bispo onde se pode aceder ao arquivo. Carlos Bispo deixou uma explicação: “Esta é uma colecção de poemas publicados às segundas-feiras desde 1993 em vários sítios. Começou-se por acidente na pt-net no Outono de 1993. Passado algum tempo espalhou-se até à soc.culture.portuguese e depois até à soc.culture.brazil. Depois de um período em que apenas os publiquei nestes dois grupos e para uma pequena lista de pessoas, passei a distribui-los apenas nessa lista de pessoas que me pediram para o fazer directamente para as suas caixas de correio, para além de os colocar aqui. Passados que foram 10 anos da edição inicial, decidi encerrar a actividade em Outubro de 2003. O que aqui se guarda é o espólio desta ‘pequena’ brincadeira.”

Essa “pequena brincadeira” tinha na altura muitos fãs.

A remexer no baú

     No Reino de Stephen  Aviso: isto é só para coleccionadores.

No dia 23 de Março de 1996 foram publicadas as primeiras CIBER-ESCRITAS no suplemento do PÚBLICO, Leituras & Sons. A crónica foi-me pedida pelo meu editor na altura, Torcato Sepúlveda.  Ele já tinha o nome da dita coluna, eu só teria que inventar o conteúdo.

O nome, contou-me na altura, tinha-lhe sido sugerido por Francisco José Viegas,  director da revista Ler. Ficaram CIBER-ESCRITAS para sempre.

A primeira crónica era dedicada ao escritor norte-americano Stephen King e às suas andanças precoces na Internet. Alguns anos depois, em 2000, Stephen King voltou a dar que falar por ter colocado na Internet partes de um romance em formato electrónico. Podia ser descarregado a partir de qualquer lugar do mundo. Mas esta história fica para outro dia.

Até lá podem ler a crónica No Reino de Stephen carregando na imagem lá em cima. 

 O newsgroup ainda existe mas perdi o rasto ao site Being Stephen King: The True Horror Story. Se alguém o encontrar, avise por favor.


Sobre

Este é um blogue do PÚBLICO, escrito por Isabel Coutinho. Desde 1996, a jornalista assina semanalmente a coluna Ciberescritas sobre o futuro dos livros, a presença de escritores na Internet e a relação entre as novas tecnologias e a literatura. isabel.coutinho@publico.pt

Fotos no Flickr

del.icio.us Isabel Coutinho

Blog Stats

  • 28,904 hits