Os diários de Dang Thuy Tram

Os diários de guerra de Dang Thuy Tram começam a 8 de Abril de 1968. Aos 25 anos, ela era médica-chefe num hospital de campanha nas montanhas do Vietname central. Muitas vezes descia à planície para tratar dos feridos no campo de batalha. Dois anos depois foi morta pelas tropas norte-americanas.

Os seus diários ficaram com um soldado norte-americano, Fred Whitehurst, que guardou os documentos durante anos (“uma série de páginas cosidas com uma capa de cartão, do tamanho de um maço de cigarros”). Podem ir ver imagens dos diários no site norte-americano dedicado a este livro.

Em Abril de 2005, quando Hanói se preparava para celebrar o 30º aniversário da libertação do Sul, a mãe de Thuy, Doan Ngoc Tram, recebeu um pacote enviado por Fred contendo os diários da filha e estes acabaram por ser publicados no Vietname.

O livro transformou-se num “best-seller”. Na introdução do livro lê-se: “Outros diários de guerra haviam sido publicados [no Vietname] mas, tal como os manuais escolares, falavam, sobretudo, de feitos heróicos e de grandes vitórias. Os diários de Thuy representavam algo diferente e inédito. Tratava-se de uma mulher, jovem, corajosa, imbuída de ideais, mas também com vulnerabilidades e dúvidas – uma romântica, apesar de toda a sua disciplina. O modo como descrevia o sofrimento dos soldados e o seu heroísmo lembrava aos leitores que os que tinham morrido pela sua causa eram seres humanos como eles.”

Este livro esteve em destaque o ano passado na feira Book Expo America que decorreu em Nova Iorque. Podem ir ver o texto que foi publicado na altura no PÚBLICO, aqui (a primeira parte) e aqui (a segunda).

Hoje no caderno P2 do PÚBLICO é possível ler uma pré-publicação . O livro Esta noite sonhei com a Paz, de Dang Thuy Tram (editora Pedra da Lua), irá para as livrarias portuguesas durante a próxima semana.

Há também um documentário Finding Thuy, de Neil Alexander que em 2005 acompanhou a viagem de Fred Whitehurst e do seu irmão quando se foram encontrar com a família de Dang Thuy Tram. Vá até à sua página oficial.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Sobre

Este é um blogue do PÚBLICO, escrito por Isabel Coutinho. Desde 1996, a jornalista assina semanalmente a coluna Ciberescritas sobre o futuro dos livros, a presença de escritores na Internet e a relação entre as novas tecnologias e a literatura. isabel.coutinho@publico.pt

Fotos no Flickr

Mapa do Padrão dos Descobrimentos

Mapa do Padrão dos Descobrimentos

Mapa do Padrão dos Descobrimentos

Mapa do Padrão dos Descobrimentos

Mapa do Padrão dos Descobrimentos

Mapa do Padrão dos Descobrimentos

Mapa do Padrão dos Descobrimentos

Mapa do Padrão dos Descobrimentos

Mosteiro dos Jerónimos

Mosteiro dos Jerónimos

Mais fotos

del.icio.us Isabel Coutinho

Blog Stats

  • 28,797 hits

%d bloggers like this: